Para Todos Os Garotos Que Já Amei

agosto 19, 2018


Antes de falar sobre o filme, deixe-me dizer algumas coisinhas sobre o livro. Conheci Para Todos os Garotos que Já Amei logo após o lançamento, mas deixei para ler um bom tempo depois, assim que soube que sairia uma continuação. Li os livros um seguido do outro e fiquei encantada pela história da Lara Jean. Muita gente torce o bico para os livros juvenis (confesso que a grande maioria não chega à minha estante, o que pretendo mudar assim que meu filho mais velho começar a ler) e jovem-adulto, mas esse tem um magnetismo mágico e uma capa doce e que transmite uma paz tão convidativa, que ao final me arrependi de ter esperado tanto tempo para lê-lo.


 Considerações sobre o Livro 

Lara Jean é uma jovem que tem a vida relativamente tranquila e divide as responsabilidades da casa com o pai e as duas irmãs, Margot e Katherine, após o falecimento da mãe. Margot está indo para a faculdade do outro lado do mundo e logo Lara Jean vai assumir o papel de irmã mais velha. Mesmo com a viagem e a volta às aulas se aproximando, tudo parece em seu devido lugar. Exceto por um detalhe: as cartas que ela escreveu para os cincos garotos que já amou em toda sua vida e guardava escondido na sua preciosa caixa de chapéus, foram enviadas a seus destinatários. E ela descobre isso da pior maneira possível.

Quem nunca teve vários amores no decorrer da vida? Quem nunca escreveu cartas secretas, fantasiou, ou confidenciou à melhor amiga que sempre teve aquela quedinha pelo garoto impossível da escola, do cursinho ou até mesmo vizinho? Para Todos os Garotos que Já Amei me fez voltar à época deliciosa da transição entre a infância, adolescência e vida adulta. Reavivou memórias que estavam escondidinhas lá no fundinho do coração; mesmo aquelas que não são tão boas assim. Afinal, sempre tem o pé na bunda, o amor não correspondido e a desilusão. Né? Mesmo a vida não sendo perfeita, tudo que passamos nos serve para amadurecer e aprender. Até os garotos que um dia amamos.

Apesar do foco da história estar em grande parte na confusão das cartas enviadas acidentalmente (ou não, hehe), o lado da relação familiar também é incrível e foi uma das coisas que mais encantou. Meu único irmão é 18 anos mais novo, então não tive essa conexão de irmão/amigo, de pactos, juramentos, segredos e cumplicidade como as irmãs têm; o que me fez derramar lágrimas algumas vezes no decorrer da leitura. Sabe aquele tipo de livro que aquece o peito e você termina a leitura com um sorriso? Pois é.  

Os dois livros seguintes narram o amadurecimento de Lara Jean, como lidar com um relacionamento mais sério, assumir as rédeas da própria vida, tomar decisões difíceis e, finalmente, crescer. São três livros deliciosos que indico, principalmente, para o público mais jovem. Mas se você que já passou dos 25 ou, como eu,  já entrou na casa dos 30 e sentiu que vai curtir a leitura, pode começar sem medo de ser feliz.


  Sobre o Filme

Sendo o mais breve possível para não dar spoiler: a adaptação é super fiel, houveram algumas mudanças necessárias, mas nada que roubasse a essência da história. Entretanto, não me senti realmente conectada à trama. Demorei para me envolver, para simpatizar com certos personagens e me atrevo a dizer que pelo menos duas escolhas foram erradas. Primeiramente, a superficialidade na relação das irmãs Song foi uma decepção. Como mencionei acima, foi algo que adorei nos livros. A atriz escalada para ser a Margot mais parecia mãe de Lara Jean e Kitty, do que irmã. Achei a escolha um grande equívoco. Sorry, guys!

Peter e Josh: Senti falta da personalidade do Peter, o personagem do filme considerei um tanto descaracterizado, mas no geral o ator conseguiu minha simpatia. Confesso que ele não é tão belo quanto imaginei, Jenny Han o descreve tão maravicherry que as expectativas estavam lá no alto. HAHA   Quanto ao Josh... Céus, parece que o jovem fala com algo entalado na garganta. Sem contar o fato de que ele parece prestes a explodir a qualquer momento. Faltou demais a amizade dele com a Lara Jean. Embora seja mencionado que eram grandes amigos, a verdade é que não parece. Achei forçado.

Esperei pelas cenas dos biscoitos, algo marcante nos livros e mal teve uma. Foi corrida e a Lara Jean parecendo uma desvairada sem saber o que estava fazendo. Mesmo com ressalvas, o filme é realmente uma boa adaptação. Não deixo de indicar por conta das minhas exigências, afinal já fiquei arrasada com histórias que, quando adaptadas, foram totalmente destruídas. E não é o caso. Sim, é divertido, encantador, cumpre o que promete e, para mim, apenas isso. Ainda prefiro a magia das páginas e toda a emoção que elas despertaram dentro de mim. E o que faltou no filme para me ganhar de verdade foi exatamente isso: emoção. Mas para ser justa, admito que dei boas risadas.

Espero que gostem/tenham gostado muito mais do que eu.
Abraços.

Postagens Relacionadas

instagram

Google+ Followers

pinterest